Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(S)em Sentido

Nem tudo o que parece é, fica para ver...

(S)em Sentido

Nem tudo o que parece é, fica para ver...

20.Set.18

Afinal o fair-play (não) é uma treta

Claudia de Almeida

img_797x530$2018_09_19_21_23_59_384853

Fonte: https://www.sabado.pt/fotografias/detalhe/renato-sanches-marca-ao-benfica-e-pede-desculpas

 

Os últimos meses têm sido marcados pela polémica do processo e-toupeira, assunto do qual falarei provavelmente nos próximos dias, no entanto, hoje fiquemo-nos pelos gestos que marcaram o jogo de hoje entre o Sport Lisboa e Benfica e o Bayern München. Para os amantes de futebol foi possivelmente um jogo bem disputado entre duas equipas, um jogo com apostas para todos os gostos, com pulos de alegria, com frustração – os 90 minutos habituais de um jogo normal.

Para quem como eu, não gosta propriamente de futebol, o jogo disputado esta noite no Estádio da Luz, foi a prova de que afinal o mister Jorge Jesus não tinha razão quando um dia disse que “o fair-play é uma treta”. Para os mais desatentos, Renato Sanches, o jovem antigo jogador do Benfica marcou ontem o seu primeiro golo pelo Bayern (caso esteja errada por favor corrijam-me), pedindo posteriormente desculpa aos adeptos benfiquistas presentes no estádio – e quiçá em casa – o que lhe deu direito a uma ovação de pé de todo o estádio.

Foi um daqueles momentos que ficarão marcados na memória de todos quantos ainda acreditam que ainda existe salvação para a raça humana, todos aqueles que tal como eu não conseguem assistir aos 90 minutos de um jogo de futebol nem suportar os debates pós-jogos nos canais televisivos, porque não entendem como é possível haver tanto rancor dentro de um corpo, como é possível se partir para o insulto e agressão gratuita só porque a equipa A ganhou à B ou são clubes rivais.

No entanto, o gesto de fair-play de Renato Sanches foi ofuscado por dois outros gestos, aparentemente alguns dos adeptos presentes nas bancadas tiveram a "infeliz" ideia de provocar James Rodriguez durante todo o jogo (ou quase todo), o antigo jogador do Futebol Clube do Porto por seu turno“decidiu” mostrar os cincos dedos da mão no momento da sua substituição. Na minha opinião, gestos como estes, sejam eles protagonizados pelo jogador da equipa A ou B ou pelos adeptos nas bancadas, demostram uma clara falta de respeito para com os verdadeiros adeptos de futebol, tal como para com os profissionais de futebol e acima de tudo um mau, aliás, péssimo exemplo para os mais jovens. 

Planeta futebol: podemos parar por uns breves momentos e agir como seres racionais que somos? O futebol é suposto ser um fator de união, não o contrário, percebam isso de uma vez por todas…

_________________________________________

No post anterior: Um retrato nu (im)perfeito

 

50 comentários

Comentar post